Das coisas mais legais que fiz em Paris: Sacre Couer de MontMartre

Oi gente! Tudo bem? Antes de escrever sobre Paris, queria fazer um pequeno pedido! Estou tão feliz porque meu blog tá sempre com visitantes, mas não vejo muitas curtidas, críticas ou comentários! Por isso peço para interagirem comigo um pouquinho, pra eu saber se estou no caminho certo! Não tenho muitas pretensões com o blog, a não ser falar de viagens mesmo, que eu amo! Mas sinto falta de feedback, então de vez em quando vou pedir pra vocês!

Gente, me propus a falar de Paris pelas coisas que mais gostei de fazer.. Claro que vou falar também com o tempo do que eu não curti muito, mas deixa primeiro eu me lembrar daquilo que me fez mais feliz!!

Bom, minha viagem a Paris, como foi pela primeira vez, foi um programa bem turistão mesmo! Eu segui um livrinho que minha irmã me emprestou do (maravilhoso) Conexão Paris, que traz cinco roteiros para quatro dias em Paris! Eu curti muito porque fui passeando por tudo, conhecendo tudo pelo lado de fora, e entrei só nas atrações principais! E era o que eu queria mesmo.. Uma visita relax, sem precisar me estressar com horários de museus e coisa e tal!

20150325_174609

Bom, eu não me lembro exatamente que dia visitei Montmartre, mas achei o bairro muito legal! Cheguei pelo Moulin Rouge, tirei fotinhos, me arrependi de não ter pesquisado antecipadamene pela internet os shows (na hora era vender um rim pra pagar!) e saí caminhando com a ajuda do googlemaps offline até a Catedral de Montmartre! Sim, aquela que fica no alto de um monte (da onde vem o nome do bairro, Montmartre), que você pode subir vários lances de escada (234, pra ser mais exata!) ou cortar caminho pelo bondinho na lateral direita da igreja!

Montmartre, bem agitado!

Montmartre, bem agitado!

Primeiro, não tinha aquela cambada de turistas orientais que ninguém aguenta.. Mas a igreja e as escadarias estavam super cheias, movimentadas de gente jovem, famílias, casais e eu adorei aquela atmosfera!

20150325_181831

Daí como eu e o Gui gostamos de nos molhar se estamos na chuva, resolvemos subir logo as escadas mesmo! Foi a melhor decisão! Ok, o bonde deve ser legal, mas eu adorei subir os degraus! A gente parava de vez em quando, tirava fotos da vista, sorria pra algum músico, ria dos jovens xavecando com uma cervejinha na não.. E quase lá no topo, um artista em cima de uma coluna bem alta fazendo embaixadinhas ao som de Gangnam Style! E uma sensação de “esse momento não volta mais!”

20150325_182311

Deu pra ver que a subida foi melhor que entrar na igreja né? Na verdade, foi pau a pau! A Sacre Couer de MontMartre é muito linda! Mais bonita, na minha opinião, que a Notre Dame (que é linda também)! Agora, melhor do que a subida e do que a Basílica, só a vista lá de cima mesmo!!! É uma daquelas vistas que a gente nunca mais esquece na vida, sabe? E é gratuita!!!

20150325_183146

Após descermos (bem mais tranquilo que subir), passeamos pelas ruas próximas à igreja, até encontramos um bistrô para jantar, pois já era quase 19h. O bairro é muito agradável. Perto da Basílica há muitas lojinhas de souvenirs, e dá pra garimpar coisas bem legais! O bairro é bem boêmio, cheio de gente nas mesinhas do lado de fora dos bares, tomando um vinho. Honestamente, não sei como os franceses conseguem sentar nas ruas no frio..

Voltamos para o hotel de metrô. Paris é uma cidade enorme e ainda tem os arredores. É importante escolher um hotel que fique perto do metrô. O nosso ficava bem longe das atrações, num dos arrondissements (bairros) mais distantes, o número 15 (aqui você encontrar dicas sobre os bairros, e é importante associá-las ao mapa do metrô); porém, era sair da porta do hotel e dar de cara com a estação. Eu gostaria de ter ficado mais perto, mas fica a dica para quem tenta economizar com essa parte, como eu precisei, peguem um hotel que fique na cara do metrô! O metrô de Paris funciona muitíssimo bem! Tem várias linhas (inclusive tem linhas interditadas de tão perto que ficam de outras) e é fácil de usar! Eu me locomovi muito a pé e de metrô e só usei taxi pra ir embora pro aeroporto porque meu vôo era de madrugada!

Enfim, espero que curtam à visita à Basilique du Sacré Couer de Montmartre como eu adorei!

Anúncios

Das coisas mais legais que fiz em Paris.. Torre Eiffel!

Oi gente! Finalmente vou falar um pouco sobre Paris..

IMG_9089

Primeiro, acho que fiz mal em incluir Paris na minha viagem que inicialmente seria somente para a Itália. Explico: foi legal ir a Paris, mas eu amei tanto tudo que vivi na Itália, que acabei não amando tanto assim Paris! Eu acho que se eu tivesse deixado a França para uma viagem única, quem sabe essa impressão não tivesse sido diferente? Comparar italianos com franceses não dá.. eu senti muito mais receptividade na Itália! Achei eles muito mais animados, dispostos a conversar, a nos atender bem! Em Paris, fomos bem atendidos nos restaurantes, mas de uma forma geral achei que todos pareciam mais “corridos”..

Além disso, acho que eu escolheria outra época para visitar Paris. Março estava muito frio, chegamos no pico do nível de poluição e depois choveu nos dias seguintes. Então, não estava tudo lindo e não foi um frio que deu pra curtir, sabe?

Mas é óbvio que, como eu sou fácil de agradar quando o assunto é viagem, teve várias coisas legais que fizemos em Paris e que eu recomendaria!

IMG_9087

A primeira que vou citar envolve – claro, e não poderia ser diferente – a torre Eiffel! Gente, como ela é maravilhosa! Ela é muito maravilhosa! Ela é perfeita mesmo!!! Visitamos a torre todos os dias da viagem e eu não recomendaria não fazê-lo! No primeiro dia, chegamos em Paris no início da noite! Não havia nada que pudéssemos fazer em tempo hábil, então fomos logo ver a torre! Nossa, é uma sensação muito especial chegar em Paris, ver a torre e pensar “É, estou em Paris!” Daí vimos que alguns vendedores ambulantes vendiam champanhe e taças para que os apaixonados pudessem brindar sentados no jardim da torre! Então, uns dois dias depois, fomos para a torre com a esperança de poder beber um vinho no jardim! Como não queríamos pagar o preço inflacionado dos ambulantes, encontramos um mercadinho perto da estação de metrô da torre (a estação mais próxima da torre é a BirHakeim), compramos um vinho, tacinhas de plástico, um abridor e um pacote de ruffles (tudo no mercadinho) e fomos sentar no jardim da torre para tomar um vinho e vê-la brilhar! Durante a noite, nos cinco primeiros minutos de cada hora as luzes da torre piscam e é muito emocionante! Então curtimos muito esse momento! Foi definitivamente a coisa mais legal que fizemos em Paris!

IMG_9434

No último dia em Paris, nós subimos na torre! Eu comprei com uma antecedência de uns três meses pela internet os ingressos para subir. Esses ingressos foram muito difíceis de achar! Fiquei entrando todo dia pra ver e nunca tinha vaga para a semana que eu estaria lá. Aí, de repente, um dia, tinha! Dizem que as filas são lotadíssimas na hora, então se conseguir, é melhor comprar online! Foi muito bom, uma das entradas é só para quem já comprou previamente pela internet e a fila é bem pequena, só para passar no raio x. Pois é, tem raio x, tipo aeroporto! hehe.. inclusive, fiquei com medo pois havia comprado no mercado um fois grois e parece que não pode subir com comida… mas enfiei no fundo da bolsa e passou..

20150326_171751

A subida é bem legal! O elevador tem dois andares e ele vai na diagonal, acompanhando a perna da torre. Ele é bem velho e antigamente funcionava na manivela, então tem até um boneco atrás dele exemplificando como funcionava. Eu comprei o ingresso para subir no topo. Mas você pode comprar para ir até o segundo andar. Mas a emoção de subir no topo da torre é impagável! É bem alto, mais alto do que a gente imagina lá de baixo e a vista é linda, mesmo que Paris não estivesse no seu melhor dia quando fui.

Bom, tem várias outras coisas legais que fiz em Paris, mas acho que a torre merecia um post só para ela!

20150326_162530

Lembranças de viagem!

Gente,

Hoje comecei um post sobre Milão, mas fiquei um pouco travada, então resolvi tirar o dia pra compartilhar minhas lembranças de viagem! Eu não sei se você é desse tipo de viajante, mas eu sempre viajo pensando na minha casa! Sempre pensando no que vou levar pra minha casa! É como se eu estivesse trazendo um pedacinho dos lugares que visitei! Afinal, relembrar é viver!

Sei que vocês terão suas próprias lembranças, mas pensei e por que não mostrar no meu blog as minhas? Então aqui vai um pouquinho de mim pra vocês….

20150911_092912

Nessa primeira foto, tem um porta retratos daqueles que a gente coloca uma pen drive e as fotos ficam passando, sabe? Eu dei de presente pro meu marido quando ainda namorávamos, mas hoje ele fica aqui na nossa ilha, mostrando a nossa história! Ao lado dele, uma cafeteira que comprei em Roma, em uma lojinha maravilhosa perto do Panteão; e porta-copos que você encontra em qualquer lojinha de Paris. Esses eu comprei perto da Catedral de Notre Dame.

20150911_092927Esse jogo americano faz parte de um kit com 4 jogos diferentes que remetem a café em Paris! Comprei em uma lojinha perto do Pompidou, que foi onde estava mais baratinho… eu uso muito!

20150911_092941 Essa galinha meu marido trouxe de uma viagem que fez a trabalho para Recife! Ela foi o primeiro enfeitinho que arrumamos para nossa casa, por isso tem valor especial!  Quero muito conhecer Recife também!

20150911_093001

Nessa foto, o que mais tenho de lembranças, inclusive lembranças que ganhei! Sei que tem quem ache ímãs de geladeira brega, mas eu tenho o maior orgulho da minha geladeira! Hahaha! A maioria dos ímãs eu trouxe de viagem, mas nossos irmãos e amigos nos deram alguns também,  como os de Gramado, Londres, Punta del Este e Amsterdã!  Gosto de acreditar que eles vão me dar sorte pra viajar mais e mais! Em cima da geladeira, mais lembrancinhas que trouxe de Nova York e Miami, e uma galinha que ganhei em um chá de panelas, que é uma luva de forno…

20150911_093036

A nossa mesa de centro tem uma gaveta, e aí dá pra ver o que tem abaixo do vidro: meu álbum de casamento, um conjuntinho de 4 pratos da Alice no País das maravilhas que eu trouxe da Disney e um pratinho do Vaticano. Acima do vidro, a torre Eiffel, que ganhamos da irmã do Gui, que conheceu Paris antes de nós. Livros de Roma e de Michelangelo (o cara!) e 4 porta copos que trouxemos de Roma feitos com mármore travestino!

20150911_093110

E finalmente,  trouxemos do Vaticano a Nossa Senhora de Fátima e de Lisboa o negocinho de colocar petiscos! Só para o caso de alguém ter curiosidade,  o quadrinho é o nosso convite de casamento, que a avó do Gui nos deu de presente, e os passarinhos foram lembrancinhas que eu dei para as minhas madrinhas de casamento e além disso temos ali Nossa Senhora Aparecida, padroeira do nosso país! E, aí, qual será o próximo presentinho para a minha casa? Em novembro eu conto pra vocês!

Paris: mais dicas!

Em janeiro, uma amiga minha dos tempos de escola, que hoje é minha colega de trabalho (apesar de nos vermos bem pouco no trabalho por termos funções bem diferentes), viajou para Paris! Ao ver suas fotos no instagram, eu não consegui me segurar e, apesar de já ter feito mil pesquisas para minha viagem, pedi as dicas dela também! Afinal, sempre pode sair uma nova carta da manga né?!?

Ela (a Thais) me mandou as dicas ontem, eu achei beeem legais, e pedi a ela para publicar aqui no blog e ela autorizou sem problemas! Então, ficam as dicas da Thais!

“Bom dia, Nayara!
Tudo bem?! Aí vão algumas dicas de Paris… Você vai adorar a cidade! Aproveite bastante!Dicas Gerais:

*Leve tênis bem confortável! Você vai subir muitas escadas e caminhar bastante! 😉
*Cuidado nas visitas a museus porque você pode ser roubada. Muita atenção com seus pertences pessoais…
*Coma croissants, nutella, fondue… Hummmm!!! Aproveite!
*E lembre-se: quem converte, não se diverte! heheheheh
1. Aeroporto – Hotel:
Bom, o transporte do aeroporto (seja pelo Charles de Gaulle ou pelo Orly) pode ser feito facilmente pelo metrô. Lá existe o RER, com conexão para o metrô. É muito fácil de pegar, bem mais barato do que táxi e não demora. Gastei 7,50 euros do Charles De Gaulle para a rua de Vaugirard (onde ficava o meu hotel).

           É interessante, assim que chegar ao aeroporto, pedir um mapa da cidade com as linhas de metrô em um dos guichês “Tourist information”. Tem vários no aeroporto. (Anexei uma foto do mapa pra vc).

2. Metrô:

           O melhor meio de transporte em Paris! Achei muito fácil andar de metrô por lá. Tem muitas estações e muitas conexões entre linhas. Quando vc entra em uma linha de metrô, existem máquinas nas quais vc pode efetuar o pagamento do ticket, bem como guichês, caso vc precise de outras informações.
Eu andei de metrô todos os dias… Foi muito tranquilo! Lá é bem sinalizado. Com o mapa na mão vc vai conseguir se locomover tranquilamente.
3. Museu do Louvre:
           Que lugar maravilhoso!!! E enorme! Heheheh! Programe-se com antecedência para saber o que você quer visitar… Lá é muito grande! Não dá para ver tudo em um dia só… Acho que nem em uma semana você consegue! Você também pode comprar os ingressos pela internet…
           Existe um Audioguide do Louvre que você pode baixar lá na hora da sua visita. Lá tem wii-fi de graça, mas só para baixar o aplicativo. O Audioguide mostra uma planta do Louvre, bem como onde estão as atrações mais visitadas… Vale a pena! Tem áudio também sobre cada atração que você pode ouvir lá na hora.
            *Importante: O Louvre abre todos os dias (exceto às terças-feiras), das 9h às 18h – lembrando que às quartas e às sextas o local só fecha às 21h45.
 
4. Museu D’Orsay
Gostei bastante! No Museu de Orsay estão presentes obras de Van Gogh, Monet, Degas, Maurice Denis, Odilon Redon. Existem, também, exposições temporárias que ocorrem paralelamente à exposição permanente.
            O edifício, que atualmente alberga o museu, era originalmente uma estação ferroviária, Gare de Orsay, no local onde se erguera até 1871 um antigo palácio administrativo, o Palais d’Orsay. Foi inaugurado em 1898, a tempo da Exposição Universal de 1900. O projeto foi do arquiteto Victour Laloux.
             Em 1939, deixou de ser o terminal da linha que ligava Paris a Orleães devido ao comprimento reduzido do cais, passando a ser apenas uma estação da rede suburbana de caminhos de ferro; e mais tarde, durante a Segunda Guerra Mundial serviu de centro de correios. A estação foi fechada a 1 de Janeiro de 1973.
              Em 1977, o Governo francês decidiu transformar o espaço num museu. Foi inaugurado pelo presidente de então, François Mitterrand, a 1 de Dezembro de 1986. Os arquitectos Renaud Bardon, Pierre Colboc e Jean-Paul Philippon foram os responsáveis pela adaptação da estação.           
               OBS.:*Não pode tirar foto lá dentro
5. Champs-Elysées e Arco do Triunfo:
              A Champs-Elysées é uma das mais famosas e glamourosas avenidas do mundo. Ela liga o Arco do Triunfo à Place de la Concorde e reúne as principais joalherias e lojas de grandes grifes. De quebra, é vizinha à residência oficial do presidente da república, o Élysées Palace. É aqui que ocorre a grande festa de Réveillon em Paris, bem como as principais celebrações de conquistas militares ou esportivas, como o desfile de 14 de Julho (A Queda da Bastilha) e a etapa final do Tour de France.
               A loja que mais valeu a pena para mim foi a Sephora! Vale a pena conferir os produtos. Quando você entra o pessoal já pergunta de onde vc é e falam português, inglês, espanhol… O que for preciso para vender! ahhahahahaha! Experimente os produtos e veja o que você vai gostar… Pra mim valeu muito a pena!
Ao final da avenida Champs-Elysées você verá o Arco do Triunfo. Tem como você subir lá em cima e ver a cidade! Vale muito a pena!!! Você vai subir bastante escadas!kkkkk! Mas a vista é linda! Acho que paguei 9 euros para subir…
6. Palácio de Versailles:
               O Palácio de Versailles fica fora de Paris, em Versalhes. Você pode pegar um metrô para lá… É super tranquilo também!
É um dos pontos turísticos mais visitados da França. Vale muito a pena! Eu adorei! É lindo, enorme e você consegue sentir aquele clima histórico! Fiquei encantada!
7. Basílica do Sacré-Coeur:
              A zona de Montmartre e seu arredor é sem dúvida uma das mais contrastantes zonas de Paris: você encontra uma multidão formada por fiéis que visitam e frequentam a Igreja do Sacré Coeur, clientes de bares e de sex shops da periferia de Moulin de la Galette, e um cenário de belos terraços na Place des Abbesses.
              O acesso até a igreja pode ser feito por escadas ou se preferir, de funicular.
              Atualmente, a basílica é um dos monumentos mais visitados de Paris. Visitei a basílica durante uma missa, é possível entrar na igreja e caminhar por ela tranquilamente, única coisa é que deve fazer silêncio e não tirar fotos (os seguranças ficam de olho e reclamam quando alguém tira foto).
              *Dica: Esse é o tipo do bairro onde você tem que passear a pé mesmo. Pegue o metrô apenas para chegar até ele ou quando for embora. E o resto do percurso tente fazer caminhando, só assim você vai entender o que é sair de um lugar sagrado e derepente se deparar com um cenário mais promíscuo, mas não por isso vulgar e não recomendável para visitação, que é a zona do Moulin Rouge e seus sex shops.
               Depois de visitar a Sacré Coeur, aproveite o visual da cidade de Paris que se tem à partir do terraço lá no alto. Depois, desça as escadarias em direção a rua Place Saint-Pierre, pare na metade do caminho, volte-se para trás e tenha uma formidável vista da igreja.
                Aí então, termine as escadas e quando cruzar os portões e atravessar a rua, entre na Rue de Steinkerque, e logo a sua esquerda, aproveite para experimentar um delicioso e quentinho crepe francês. Lá encontrará também diversas lojas de souvenir.
                Dê uma passada também na “I love you wall”, considerada já uma atração turística. É uma parede onde está escrito “eu te amo” em todas as línguas. A parede está localizada na Place des Abbesses. Desça na estação de metrô Abbesses. A entrada é gratuita.
Outros Lugares que vc não pode perder…
8. Catedral de Notre Dame:
9. Jardim Du Luxembourg:
10. Panthéon:
11. Torre Eiffel: você tem que ir até o nível mais alto! É lindo e vale super a pena
12. Disney: Se tiver tempo, vale a pena! Me diverti demais!
*O que vale a pena comprar por lá:
     Pra mim, o que valeu realmente a pena foram cremes dermatológicos… Comprei água termal, produtos La Roche… Levei uma foto da lista de produtos que a minha dermato indicou e comprei tudo lá por um preço muito mais barato!
     Chocolates Lindt – tem um que eu indico: o de creme brulée! É fantástico! hehehehe
     Maquiagem – vale a pena ir na Sephora da Champs-Elysées”

Dica do dia!

Oi gente,

Hoje descobri mais uma dica boa, essa para quem tem cartão Mastercard. Aqui você encontra preços promocionais e atrações turísticas gratuitas em várias cidades do mundo! É só colocar na primeira coluna o país de onde você é e na segunda a cidade para onde vai e descobrir o que o Mastercard, em parceria com outras instituições, tem para te oferecer!

Sem título

Para testar, eu coloquei que quero ir a Paris, e abriu a página com as categorias “Compras”, “Estadia” e “Gastronomia”. Clicando em estadia, me interessei por algumas das propostas sugeridas, como por exemplo, um passeio exclusivo com guia pelo Louvre, em um horário de fim de tarde, com direito a uma taça de champanhe!

Sem título

Existem muitas opções interessantes em outras cidades no site. Com certeza você vai achar alguma que seja interessante para você! Atente-se para ler os Termos e Condições. Essa promoção do Louvre, por exemplo, é válida para os portadores de Mastercard Black e Mastercard Platinum. E o bom é que há uma versão do site em português! Aproveitem!

Torre Eiffel: aí vou eu!

Bom, como eu já escrevi aqui antes, eu estou planejando a minha viagem de março, que compreende algumas cidades da Itália, e Lisboa e Paris, há muito tempo. E pesquisei muito sobre o que compensaria comprar com antecedência ou não. Para a ida a Paris, decidi comprar o passe que dá entrada aos museus da cidade, o Paris Museum Pass. No entanto, esse passe não dá direito a subir na Torre Eiffel. O ingresso para subir na torre deve ser comprado individualmente, seja na hora, ou pela internet no site da bilheteria oficial da atração.

De todos os relatos que li pela internet ou de pessoas com quem conversei, ou elas compraram pela internet e acharam que valeu à pena, ou elas deixaram pra comprar na hora e a fila estava grande demais e desistiram! Eu pensei por muito tempo sobre subir ou não à Torre. Dizem que é melhor subir na Torre MontParnasse, pois a vista de lá é melhor e inclusive a gente consegue ver a Torre Eiffel. Mas, depois de muito tempo pensando, eu resolvi tentar a subida! Afinal, independentemente da vista, eu acho que deve ser uma emoção indiscutível só o fato de estar subindo na torre!

O fato é que eu não tinha lido em nenhum blog ou site sobre a dificuldade que é conseguir o ingresso! Só pra citar um exemplo, quando eu li sobre ver A Última Ceia de Leonardo da Vinci em Milão, todos os blogs falavam sobre a imensa dificuldade que é conseguir um ingresso e como a gente tem que entrar no site no dia em que abrem as vendas para o mês que a gente quer! Mas sobre a torre, eu não li nenhum relato desse tipo. Daí, bonitinha, dois meses antes da minha viagem, no início de janeiro, entrei no site toda feliz, coloquei a data que eu queria subir na torre e…. sem vagas! Aí coloquei todos os dias que vou ficar em Paris e… sem vagas! Gente, que dia triste!! Mas, o que fazer né? Tentar na hora se a fila permitisse! Mas, como boa brasileira que não desiste nunca, passei todos os dias entrando no site pra ver se surgiam vagas! E ontem, sem nem ter esperança, eu consegui!

Nossa, pensa na felicidade! Não pensei duas vezes, saí correndo pra pegar meu cartão de crédito na bolsa, e paguei os ingressos! Agora vamos ao passo a passo pra comprar os ingressos!

Primeiramente, se você for como eu e não entender nada de francês, em cima do site tem uma bandeirinha da Inglaterra, pra mudar o site pra língua inglesa. Eu, pelo menos, acho mais fácil em inglês!

Sem título

No passo 1, há duas possibilidades de escolha para subir à Torre, o primeiro “Lift entrance ticket with access to the Summit” dá direito a subir a torre até o topo,e custa 15,50 euros por adulto. A segunda possibilidade, “Lift entrance ticket with access to 2nd floor” dá direito a subir até o segundo andar (mais ou menos metade da torre) e custa 9 euros por adulto. Escolha sua opção, e no número 2 “Pick a date” escolha a data que queira ir! Já no número 3 “Indicate the number of visitors”, escolha que tipo de ingresso quer e a quantidade. Os tipos em ordem são: ingresso para adultos, ingresso para pessoas entre 12 e 24 anos, ingressos para crianças entre 4 a 11 anos, ingresso para crianças até 4 anos, ingresso para pessoas com deficiência física e ingresso para pessoas com deficiência física que estejam acompanhadas de outra pessoa.

2

Assim que você selecionar os números 1, 2 e 3, aparecerá um botão laranja escrito “Confirm”. Verifique bem se a data e a quantidade de ingressos estão corretos antes de confirmar. Só então você saberá se há disponibilidades para aquela data ou não. Caso não haja, aparecerá a tela abaixo.

3

Aperte “Retour” para voltar à tela e tentar alguma outra disponibilidade, caso você possa ir em outro dia. Outra dica que dou é tentar a opção de ir até o segundo andar, caso não seja possível mais ir até o topo. Bom, uma tela com opções disponíveis aparecerá como essa abaixo.

4

Caso você dê essa sorte, escolha o melhor horário para você e clique no vistinho verde! Após escolher o horário, vai aparecer uma tela falando pra “add to cart”. Você adiciona a compra ao carrinho, e no canto superior direito da tela, aparecerá o seu carrinho para finalizar a compra.

5

Até aí é tudo bem tranquilo. A próxima tela que aparece é que pode dar problema. Nela, primeiro vai aparecer como você deseja receber seu ticket. Há três opções. A primeira, “Electronic Ticket”, é imprimir diretamente do site. E, para nós brasileiros, é a melhor (e gratuita). A segunda é para receber pelo correio, apenas para moradores da França, e a terceira “Registered Letter abroad” é para receber pelo correio e a taxa custa 18 euros. Eu acho bem cara, e em tempos tecnológicos, acho que nem precisa!

6

A segunda etapa do site é colocar seus dados. Ignore a parte escrito “Already a customer of the Eiffel Tower”. Essa parte é para quem já tem cadastro no site. Bom, se você já foi à torre e está indo de novo, pode utilizá-la, mas aí creio que esse post não seria tão interessante né? hehe Vá para a última parte “New Eiffel Tower Customer”. Nesta parte você colocará seus dados e é aí que mora o desespero! hehe..

7

Você deve preencher os campos na seguinte ordem: telefone celular, senha (entre 8 e 20 dígitos), confirmar a senha, país, email, confirmar email, último nome e primeiro nome. O desespero é na hora de preencher o telefone celular. O site não aceita o código brasileiro 55, e nem qualquer ddd brasileiro. Nessa hora eu fiquei pensando o que eu ía fazer. Aí descobri pelo site Conexão Paris, que você pode colocar os dígitos 06 primeiro, e depois mais 8 números quaisquer, e aí funcionará! Bizarro né? Mas enfim, só assim dá certo! Após preencher os dados, aperte “Confirm” e na próxima tela você deverá colocar a bandeira e os dados do seu cartão de crédito e confirmar a compra. Infelizmente, eu não salvei essas telas pra mostrar pra vocês, e não posso simular a partir daqui. Mas depois da compra, aparecerá um link para abrir em PDF os tickets! É só imprimir e apresentar na hora! Voilá!