Foz do Iguaçu: grata surpresa!

IMG_0541

Parque das Cataratas (lado brasileiro das Cataratas)

Sabe, eu gosto muito de viajar.. existe uma sensação que dá quando eu tô arrumando mala, quando eu sinto o ar condicionado de um aeroporto.. um arrepio no fundinho do estômago, não sei bem explicar, acho que é o tal do “wanderlust”! Toda vez que eu viajo é tudo sempre maravilhoso, mesmo com todos os perrengues que uma viagem pode ter.. existe um segredo pra dar tudo certo.. parece bobo, mas funciona.. que é acreditar (do fundo da alma) que tudo vai dar certo, ainda que não dê! Comigo é assim, pode chover esfriar, nevar, tem tempo ruim nao..

IMG_0553

Um passeio energizante..

Tá, mas só pra não fugir do tema (que é Foz), tem algumas viagens que parece que dão mais certo do que as outras, não? Tem uns lugares que dão uma sensação de pertencimento. Assim foi minha relação com Foz do Iguaçu. Eu não sou muito de natureza (não me levem a mal, adoro uma boa paisagem, mas eu não sou daquelas de trilhas, matas e cachoeiras..) mas eu sempre quis conhecer Foz do Iguaçu… não sei nem bem porquê!

IMG_0571

Vista do mirante do Hotel Belmond das Cataratas

Daí em 2016, aproveitamos o feriado de Finados e uma promoção de passagens aéreas e lá fomos marido e eu curtir Foz! Ficamos cinco dias lá e foram super bem aproveitados. Eu diria que se você tiver quatro, você já aproveita tudo (porque no último de tarde ficamos descansando na piscina do hotel). Se você tiver dois ou três, dá pra ir, mas vai ter que priorizar. E aí vai ficar faltando coisa bonita, pode crer.

IMG_0577

Pôr do sol que você vai pegar com a dica de ouro logo abaixo!

Na nossa viagem, a gente recebeu uma dica de ouro, dica mestre, anota aí! Essa dica é um pouco cara, mas se você puder desembolsar essa grana a mais, vale realmente à pena. O parque das cataratas do lado brasileiro fica aberto de 9h às 17h, mas para quem está hospedado do hotel Belmond das Cataratas ($$$$) ele fica aberto 24h  (sem supervisão, tem que ter cuidado e noção, afinal, é muita água e muitos bichos). Me deram a dica de me hospedar lá pra curtir o parque sem multidão e com maior tranquilidade.

1º dia: Macuco Safari e Parque das Cataratas

IMG_0608

Então nós nos hospedamos lá na nossa primeira diária e depois fomos para outro hotel na cidade mesmo. Chegamos em Foz no horário de almoço, fizemos check in, almoçamos no hotel (vale ressaltar que as três refeições que fizemos no hotel – sendo apenas o café da manhã incluso – foram muito maravilhosas), tiramos umas fotos no hotel (que tem estrutura e jardins lindos) e deixamos para ir ao parque às 17h, quando os ônibus cheios de turistas iam embora). Assim percorremos o parque todo (vale ressaltar que o lado brasileiro das cataratas tem apenas 20% delas) na maior tranquilidade e vimos um maravilhoso pôr do sol lá. Na hora de chegar bem pertinho das cataratas, eu me diverti muito, lavei a alma! Saí correndo, pulando e gritando “Obrigada Senhor”, sem ninguém por perto pra ver esse meu mico rolando (exceto meu marido, que já conhece essas minhas loucuras hehehe). Seguem abaixo algumas fotos pra vocês verem.

IMG_0733IMG_0768

IMG_0922

Essa foto representa a minha felicidade em tomar um banho das cataratas!

IMG_0954

Nós aproveitamos a tarde também, antes de esperar fechar o parque para realmente vê-lo, para irmos fazer o Macuco Safari. Agendamos na parte de turismo do hotel e fomos. Eu tinha lido na internet muito sobre esse passeio. Muita gente falando que tinha amado, muita gente falando que era sem graça, cheio, muito “turistão” e caro demais. E mais uma vez, eu não me arrependi de ter feito o passeio. Eu achei muito massa e certamente faria de novo, apesar do preço salgado. Achei tão organizado, parecia atração da Disney, de tão profissional. Primeiro eles te levam ao longo da mata, mostrando espécimes raros de plantas, numa espécie de jeep.. depois você desce até a beirada do lago e pega o barco que leva ao passeio. O passeio é bem radical, molha inteiro (mas tem aluguel de escaninhos, para deixar máquina fotográfica, bolsas, celulares, etc) e chega bem perto das quedas. Mas é tranquilo, até crianças pequenas fazem! Vale a pena!

IMG_6500

De noite comemos no restaurante de buffet do hotel, que era muito sensacional! Fomos dormir cedo, porque a ideia era no dia seguinte ver o nascer do sol nas cataratas e mais uma vez ter o parque só pra gente.. e claro, deu certo!

2º dia: Nascer do sol no lado brasileiro das Cataratas e Parque das Aves

No dia seguinte, mais bênçãos de Deus nos arco-íris das Cataratas. Após energizar com o banho daquelas águas, voltamos pro hotel e fomos tomar o café da manhã e curtir um pouco a piscina.

IMG_0962

Hotel Belmond das Cataratas ao fundo

Bom, sobre o clima, fomos pra Foz no fim de outubro e início de novembro, não pegamos chuva nenhuma e não estava nem frio nem calor.. eu achei a temperatura ideal para todos os passeios! Claro que após se molhar todo, a gente sente um pouco de frio né? Então talvez não seja o ideal ir no inverno…

IMG_1022

Parece montagem né? Mas esse é só um dos milhares de arco íris que vimos nas cataratas!

Bom, após o café da manhã do dia seguinte, fizemos check out, mas deixamos as malas no próprio hotel porque fomos fazer o passeio ao Parque das Aves, que fica na entrada do parque. Como a cidade é um pouquinho longe do parque, nós quisemos fazer esses passeios logo e deixamos para fazer os passeios para a Argentina e Paraguai quando nos hospedamos no hotel no centro. Mais um ponto positivo em termos nos hospedados em dois hotéis.

IMG_1029

O passeio no Parque das Aves é bem legal. Quem tem criança, é certeza que as crianças curtem, mas nós dois, sem criança nem nada, curtimos também. Mais uma vez achei super organizado e me pareceu bastante ecologicamente correto. As aves pareceram bem cuidadas e os locais adequados. E como tem ave diferente!!! Muito legal!

IMG_1061

IMG_1121

Pegar essa cena ao vivo foi bastante especial!

No restante desse dia apenas buscamos as malas no hotel Belmond e fomos para o nosso hotel na cidade, o Nadai Confort Hotel. Também um hotel que não deixou a desejar. Categoria média, porém com piscina boa, barzinho legal na piscina e também havia serviço de turismo na recepção. Passeamos de noite na cidade mesmo, no Pirata’s bar. Bem cheio, a comida estava boa, mas nada muito espetacular.

3º dia: Reserve o dia todo para o lado argentino das cataratas!

IMG_1200

No terceiro dia, fomos conhecer o lado argentino das cataratas! Gente, atenção, se vocês forem a Foz, por favor, coloquem um tênis confortável e partam rumo ao lado argentino das cataratas… eu conheci muita gente que foi a Foz e não foi no parque argentino. E vale muito a pena! 80% das cataratas ficam do lado argentino! Há três trilhas a se fazer, uma maior, uma média e uma menor. Em uma delas você passa por cima das quedas e chega na garganta do Diabo (incrível!) e em outra você vê as cataratas de baixo.

IMG_1253

Garganta do Diabo, lotada, mas simplesmente PERFEITA!

IMG_1335

A estrutura não é tão arrumada quanto no Brasil, a comida do parque eu não achei muito legal e é beeeeem cansativo, exaustivo, anda-se muito, mas é maravilhoso! Revigorante! Eu me senti muito abençoada nessa viagem! Ficamos o dia inteiro no parque e eu voltaria fácil pra fazer esse passeio inteiro de novo!

Pra entrar no parque argentino, combinamos com o taxista que nos havia levado no barzinho na noite anterior um preço (não lembro quanto, mas não era barato). Ele foi tão legal que fizemos o restante dos passeios (Paraguai, Itaipu, Duty free e bar de gelo na Argentina) todos com ele e o parceiro de taxi dele. Na realidade, tentamos uber em Foz, mas até  fim do ano passado não havia (não sei como está hoje). Aí fomos para os barzinhos na cidade de noite de aplicativo de taxi, mas os outros passeios fechamos um preço especial com esse senhor e deu tudo certo.

Além disso, o parque só aceita pesos argentinos na entrada (nos restaurantes dentro, eles aceitam real). Então eu troquei reais por pesos num shopping em Foz. Na casa de câmbio eles já sabiam exatamente o que eu ia precisar para entrar no parque. É bom lembrar na hora das contas que depois que cruzamos a fronteira, temos que pagar uma taxa de turismo na Argentina. Era bem baratinha (acho que uns 3 pesos por pessoa) e valia para a viagem toda.

De noite, fomos em outro barzinho na cidade, o Rafain Chopp. Tem muita coisa na cidade dessa família, Rafain. Nós fomos almoçar na churrascaria no último dia e não gostamos, mas esse barzinho foi uma boa pedida. Música ao vivo bem legal, isca de tilápia boa.. valeu!

4º dia: Duty Free argentino de manhã, Usina Itaipu à tarde e Puerto Iguazu fim de tarde e noite

Eu não me lembro que horas ao certo abria o Duty Free, mas fomos pra lá assim que abriu e já estava cheio.. Eu não achei o Duty Free grandes coisas.. estava bonito, com decoração de natal, é grande para um duty free, mas pequeno para um shopping, então nós não ficamos muito tempo lá. Para quem não sai muito do Brasil, pode ser vantagem ver roupas e tênis por lá, mas quem costuma viajar para os Estados Unidos vai achar o valor das coisas salgado.. Nós compramos bebidas e chocolates e valeu à pena. Mas não gaste todo o seu dinheirinho lá, ainda tem Paraguai e Puerto Iguazu pela frente..

IMG_1383

De tarde fomos para um tour na usina Itaipú, que agendamos na agência de turismo da recepção do nosso hotel (mas o taxi foi por fora). Há vários tipos de turismo na usina (para mais informações, cliquem aqui e acessem o site da usina). O mais comum e mais rápido é o panorâmico. Tem um à noite pra ver as luzes da Itaipu, que só funciona em determinados dias, então não conseguimos fazer. Mas o que escolhemos foi o Circuito Especial, que dura duas horas e meia e tem guias bilingues, que vão ensinando pra gente tim tim por tim tim do que rola lá. E esse circuito passa por fora e por dentro da usina! Meu marido é engenheiro civil, então ele queria muito fazer esse. Mas eu, que não entendo nada de nada de engenharia, achei super interessante também! Deu pra ver que a maioria das pessoas também era leiga e os guias conseguiram deixar todo mundo bastante interessado! A usina é majestosa, gigantesca! Valeu todo centavo gasto esse tour! E tem mais, se eu fosse pra Foz de novo, eu faria de novo sem problemas..

IMG_1405

Nesse dia, nós pilhamos e acabamos fazendo o passeio a Puerto Iguazú no fim da tarde, mas poderíamos ter deixado para o quinto dia.. mas deu certo! Fomos no Marco argentino das três fronteiras para ver o pôr do sol e tirar umas fotos e depois fomos na feirinha de Perto Iguazu, que eu adorei! Compramos várias garrafas de vinho, um azeite excepcional, nozes, misturinha chimi churri e alfajores argentinos!

IMG_6748

Marco argentino das três fronteiras!

Depois fomos ao bar de gelo, mas ele estava lotado. Agendamos o passeio pra de noite mesmo e fomos jantar antes no famoso El Quincho del Tio Querido. Eu havia lido sobre esse restaurante em vários blogs e já estava com ele anotado para irmos. O ambiente era muito aconchegante mesmo, mas fora isso, confesso que não achei a comida nada extraordinária. A gente sempre fica esperando muito da carne de restaurante argentino, mas eu achei gostosa, mas nada fora do comum..

IMG_6749

Após o jantar fomos no famoso “Bar de hielo” (bar de gelo) da cidade Puerto Iguazú.. esse passeio sim, eu achei uma grande furada! Mas nem vou falar pra não fazerem, porque comentei isso com uma amiga e ela disse que adorou! Então, vai saber né? O que eu achei foi o seguinte: fica-se muito tempo numa fila pra entrar, te colocam uns casacões bem velhinhos e sujinhos, depois você fica 5 minutos num local pequeno com o ar condicionado virado no jiraia pra ir se acostumando com a temperatura baixa. Aí você entra e fica meia hora no “bar” que nada mais é que uma câmara fria cheio de gelo, com esculturas de gelo. Tudo que tem lá dentro você pode beber a vontade: cerveja, refrigerante e drinks esquisitos. O negócio é que é tão frio, um puta frio, que você nem consegue beber muito.. e também não tem nenhuma bebida muito especial, tipo um vinho gostoso.. só cerveja e drinks de adolescentes.. Aí te jogam o papo de que não é bom tirar mais do que dois minutos de fotos do seu próprio celular lá dentro porque ele pode estragar e eles tiram várias fotos suas pra você comprar depois lá fora se quiser. Pronto, é esse o passeio. De tudo que fizemos em Foz, esse realmente foi o que eu não faria de novo!

IMG_0002

Ah, pra terminar a noite, o taxita também nos levou no Casino argentino! Mas é bem fraquinho e vazio.. valeu só pra conhecermos mesmo!

5º dia: Paraguai de manhã e descanso à tarde

Esse é aquele dia que, se você não tiver na sua viagem, não tem problema. Mesmo que você queira muito ir ao Paraguai, pode tentar encaixar ele em um dos dias anteriores. Nós não passamos muitas horas lá. Eu achei aquilo uma confusão doida. Mas tinha umas lojas bem interessantes.

Minhas dicas de segurança são: pesquise as lojas maiores com antecedência e fique nelas. Elas são mais confiáveis e mais interessantes. Não deixe para pegar um taxista paraguaio na volta. Combine a ida e volta com um taxista brasileiro. Ele vai te fazer sentir mais seguro e o taxi dele provavelmente vai ser muito melhor (os taxis paraguaios são bem caindo aos pedaços). Não saia daquele trajeto da rua principal.. e principalmente, não acredite nos homens que você encontrar na rua te mostrando onde ficam as lojas que vocês querem ir. Eu caí na lábia de um. Estávamos andando e ele disse “Para onde vocês estão indo? Para a loja Monalisa? Então me segue que eu te mostro onde fica” (a Monalisa é uma das grandes). No meio do caminho estranhamos muito e fomos parar numa lojinha pequenininha num meio de um shopping esquisitinho e ele falou “dá uma olhada nas coisas aí que é bem mais barato que a Monalisa”. Quando a gente quis sair, ele ficou meio puto e falou “a Monalisa fica bem ali” e apontou pra um lugar e largou a gente lá.. Portanto, vão com GPS do celular e pela rua principal, e ignorem os caras chamando vocês.

Nós  gostamos muito de olhar a Monalisa, a Casa Nissei e olhamos também o Shopping del Este e algumas lojinhas da rua principal. Não deu tempo de ir na SAX por causa do horário que havíamos combinado com o taxista, mas foi um passeio legal também, apesar da muvuca!

Bom, o resto do dia foi para descanso na piscina e arrumação de malas para o vôo da manhã seguinte. Sobre o que levar no vôo, lembre-se que o vôo é nacional, então você pode levar bebidas na mala de mão sem problemas. Só fique atento para o peso da bagagem!

É isso aí, espero que tenham curtido toda essa conversa sobre Foz e que minhas dicas possam ser úteis! É um destino maravilhoso, muitas vezes subestimado, com promoções boas de vôos (apesar de não ser um destino com passeios baratos) e que pode ser sua próxima opção!