Berlim: entre o velho e o novo!

Esse ano, no fim de março, conseguimos realizar mais um dos nossos sonhos e fomos para a Alemanha e a Holanda. Muita coisa vimos e muita coisa ficou por ver, pra outras viagens.. se Deus quiser! Hoje nesse post, vou relatar um pouco da nossa experiência em Berlim, que foi a primeira cidade dos nossos destinos. Inicialmente eu tinha reservado quatro dias para essa cidade, mas como tivemos que diminuir nossa viagem em uma semana, eu deixei 3 dias e meio pra Berlim e, no fim das contas, acabou que fizemos todo o meu roteiro em 2 dias e meio, porque decidimos de última hora passar um dia em Dresden.

Explico o porque de termos ficado menos tempo em Berlim: eu achei as visitas às atrações bem rápidas, e dei azar com os dias que separei para os museus. Dos 5 da Ilha dos Museus, eu só consegui ver um. Então, acabamos tentando juntar dois dias em um, e não vou mentir que foi corrido, mas deu pra aproveitar muito bem o nosso tempo.

Sobre a cidade em si, confesso que não foi a que mais amamos nessa nossa viagem – nem de longe. Algumas partes da cidade são lindas, mas ela é bem moderna e tem aquelas construções da época do comunismo que são muito sem graça (na minha modesta opinião). Nós pegamos o finzinho do inverno, o que deu um ar ainda mais frio para Berlim. Nas outras cidades já conseguimos sentir mais cara de primavera. Ainda assim, eu acho que vale à pena visitar Berlim, e as razões são óbvias! É uma cidade que retrata bem períodos difíceis da nossa história mundial. Mesmo que você não seja muito fã de história, vai ter algumas sensações de arrepio em alguns determinados monumentos ou museus, certamente. Pois vamos ao meu roteiro…

IMG_1429

A linda estação de trem/metrô de Berlim

1º dia

Chegamos em Berlim no horário de almoço e viemos de TAP. Eu já voei de TAP em 2015 e na época tinha achado a alimentação bem melhor. Mas ainda considero a TAP uma ótima companhia pra se voar. Sem problemas, de forma geral. Nosso hotel era ao lado da estação de trem de Berlim, que eu achei MARAVILHOSA. Bem moderna, mas linda, linda demais! E super limpa e tranquila! Andamos pra cima e pra baixo e chegamos várias vezes de noite de metrô ou ônibus por ela e não me senti insegura de forma alguma. Para ir do aeroporto até a Estação de Trem, pegamos o ônibus JetExpressBus TXL e foi 3 euros por pessoa. Fácil, rápido, e a caminhada para o hotel com malas também foi pequena. Nosso hotel foi o Intercity Hotel Berlin Hauptbahnhof. Aprovadíssimo. Ele é tipo hotel de rede, sem nada demais, mas novinho e limpeza OK. Tomávamos café da manhã na estação mesmo, que tem várias opções.

IMG_1586

O contraste do prédio do Parlamento com a sua cúpula!

Nosso primeiro passeio depois de fazer check in no hotel e almoçar, foi conhecer a cúpula do Parlamento Alemão (Reichstag). Para conhecê-la, não se paga nada mas é preciso reservar online com antecedência (aqui). Eu achei bem engraçado que a Cúpula não tem nada a ver com o prédio, que é lindo, e bem grande, de arquitetura mais antiga. A Cúpula, que também é linda e foi projetada pelo arquiteto Norman Foster, é bem mais moderna, toda de vidro e tem uma vista da cidade toda. É bem interessante a subida nela, e, como é de graça né, não custa colocar no seu roteiro e reservar!

IMG_1550

A Cúpula por dentro!

Após conhecer o Reichstag, fomos ao Portão de Brandemburgo, que fica apenas a 7 minutos a pé de distância. O portão data do fim do século XVIII e é um dos marcos mais conhecidos da Alemanha, sendo considerado um símbolo da história de guerra da Alemanha, mas também um símbolo de unidade e de paz. É bem bonito, lembra um pouco o arco do triunfo de Paris.

IMG_1608

Portão de Brandemburgo

Aproveite pra dar uma olhadinha na rua perto do Portão, ela é bem interessante, com cafeterias e sorveterias (e como alemão toma sorvete, mesmo no frio hein?) e tem o icônico hotel Adlon!

IMG_1607

Bem pertinho do Portão, a 600m de distância, fica o Memorial do Holocausto (Denkmal für die ermordeten Juden), projeto do arquiteto Peter Eisenman. O Memorial é uma linda homenagem aos mais de 6 milhões de judeus mortos durante o Holocausto e consiste em quase 3 mil blocos de concreto de altura e tamanho diferentes, dispostos em fileiras.  É um monumento aberto ao público e gratuito. Parece um pouco um cemitério, e com certeza passear pelo meio dos blocos deixa a gente bastante emocionado e pensativo! Achei a visita interessante e recomendo. Mesmo que você  gaste apenas alguns minutinhos numa passadinha rápida..

IMG_1623

De lá fomos andando pela avenida Strasse des 17 Juni até chegar na Siegessäule, para ver o Monumento da Coluna da Vitória. No meio do caminho também passamos pelo Memorial de Guerra Soviético. No meu roteiro esse passeio estava como opcional, apenas se sobrasse tempo, mas como anoiteceu tarde, deu tempo de pegarmos um lindo por do sol no caminho..

IMG_1644

A linda Strasse des 17 Juni

O Memorial de Guerra Soviético presta uma homenagem aos soldados soviéticos que foram mortos na Batalha de Berlim. Já a Coluna da Vitória tem 67 metros de altura, com um mirante e um museu que presta homenagem a vitórias militares ao redor do mundo. Nós optamos por não subir na Coluna da Vitória. Vários monumentos em Berlim são marcados por tiros e a Coluna é uma das que mais tem marcas de balas. Um passado triste e que não podemos esquecer.

IMG_1640

Memorial de Guerra Soviético

IMG_1648

Um por do sol lindo e ao fundo a Coluna da Vitória

Após terminarmos o roteiro do dia, a fome bateu e fomos conhecer o Sony Center de noite! Super iluminado, bem legal! Aproveitamos pra jantar na cervejaria Lindrenbräu, que é bem grande e super bonita! Nós adoramos o ambiente! É bem turistão, mas achei muito digna a comida! Depois dessa, só um soninho pra se preparar para o dia seguinte..

 

 

2º dia em Berlim

Esse dia reservei para conhecer a Ilha dos Museus (Museumsinsel) de manhã. Era segunda-feira e eu vi pelo site que na segunda-feira alguns museus estão fechados. Mas o que eu mais queria ver, que era o Neues, estaria aberto e o Pergamomuseum também! Assim, existe um ticket para um museu e outro combinado que você pode ir em todos. Eu comprei esse último pois para dois museus ele já valeria mais a pena, já que o ingresso de um dia para o Neues custa 14 euros e para o Pergamo 12, porém o ingresso para os 5 em um dia só custa 18.

IMG_1713

Alte National Galerie

Mas a minha tática acabou não dando certo.. chegando lá, eu estava completamente entusiasmada pra ver o busto de Nefertiti, e aí o Neues simplesmente estava fechado naquela exata semana para reforma! E quando eu comprei online não havia nenhum aviso sobre isso! Assim, eu paguei o ingresso para 5 museus, 3 estariam fechados na segunda-feira, o que eu mais queria ver estava fechado por acaso e acabou sobrando só o Pergamomuseum! Eu fiquei muito frustrada! Só de lembrar que fui a Berlim e não vi o busto de Nefertiti me deixa mais frustrada ainda! Então, eu não sei se iria novamente numa segunda-feira na Ilha dos Museus. O Pergamomuseum é bem interessante, é o museu mais visitado da Ilha e eu adorei a coleção da Babilônia.

IMG_1675

Berliner Dom, às margens do Rio Spree

Após a visita ao Pergamomuseum, fomos até a Berliner Dom, que fica bem ao lado da Ilha dos Museus! Gente, o tanto que essa Catedral é maravilhosa? Com certeza uma das mais lindas que já vi! Fizemos a visita dentro da Igreja e pagamos para subir no domo (acho que foi 7 ou 8 euros)! Estava frio e ventando, mas valeu a pena! Eu não acho a vista de Berlim uma das mais lindas da vida, mas não deixa de ser interessante!

IMG_1750

Um dos lados da vista de Berlim pelo domo da Berliner Dom

Depois da visita à Catedral, nós fomos conhecer o Mall of Berlin na Postdamer Platz. Não tínhamos o intuito de fazer compras nessa viagem e realmente não fizemos, mas ainda assim, eu gosto de dar umas passeadinhas em shopping pra conhecer e eu adorei esse shopping. O mais legal foi a praça da alimentação de lá, que dá uma volta no andar inteiro e é toda diversificada, com comida de várias nações! Adoramos, mas fomos no clássico hamburguer mesmo, provamos o do Hasir Burger e estava super gostoso! Dá até dó postar a foto abaixo, porque vai dar vontade de comer hamburguer, diz aí se não? Hehehe..

IMG_1509

Nós tínhamos horário agendado para ir jantar na Torre de TV (Berliner Fernsehturm) e como já havíamos feito toda a programação do dia, após o passeio pelo shopping e pelos arredores da Postdamer Platz, voltamos para o hotel pra tomar um banho e esperar o horário do restaurante giratório.

IMG_1533

Vista do entardecer no Restaurante Giratório

Quanto ao passeio ao restaurante giratório da Torre de TV, nós agendamos pelo site e valeu muito a pena! É um pouco caro, mas como nós nunca tínhamos ido em um restaurante giratório, eu queria ter essa experiência. Tinha lido na internet que a comida não era lá essas coisas e realmente não é. Mas nós ficamos quase 2 horas lá, pegamos o entardecer, o anoitecer.. foi realmente mágico, e com certeza a vista mais linda de Berlim! O preço para subir e reservar uma mesa na janela (que eu acho que vale muito mais a pena que a mesa do lado) custa 23,50 euros por pessoa, fora o preço dos pratos. Mas, salvo engano, nossa conta não chegou nem a 100 euros pro casal, sendo que comemos entrada, prato principal e sobremesa, e o Gui tomou umas 3 cervejas e eu umas 2 cocas.. barato não é, mas valeu!

 

3º dia em Berlim

Ao voltar para o hotel no segundo dia de viagem (o que seria o primeiro dia completo), nós resolvemos que daria para juntar tudo que estava no nosso roteiro para o terceiro e quarto dia, e tentar um bate e volta de ônibus no dia seguinte para Dresden. Deu pra fazer tudo, mas foi corrido e algumas atrações realmente só demos uma olhadinha rápida. Então, tudo que eu colocar aqui hoje pode ser dividido em dois dias, ao seu critério!

IMG_1780

Uma parte de East Side Gallery

Acordamos cedinho e fomos logo conhecer o East Side Gallery, que é um trecho do muro com 1km de extensão, localizado no lado leste (comunista) da cidade e onde tem vários grafites de artistas do mundo todo. Há vários desenhos coloridos, sobre religião, paz, mensagens de esperança e  mais famoso é a foto do beijo entre Leonid Brejnev e Erich Honecker. Dentre todos os grafites, eu achei o do beijo um dos mais sem graça e fica super lotado, cheio de gente querendo tirar foto.

IMG_1796

Ponte Oberbaumbrücke

Ao ladinho do início do muro, fica a ponte Oberbaumbrücke, que é uma ponte bem diferente e bonita. Ela possui dois andares, um onde andam os pedestres e carros e o de cima onde passa o metrô. Para conhecer a Eastside Gallery, o mais interessante é descer na estação de metrô Schlesisches Tor, pertencente a linha U12.

De lá fomos de metrô para o CheckPoint Charlie. O Checkpoint Charlie foi um dos oito postos de passagem entre a Alemanha Oriental e a Ocidental,  e que permitia que apenas ocidentais pudessem ir da Alemanha Ocidental para a Alemanha Oriental, desde que tivessem documentos e permissões necessárias. Eu achei bem engraçado que hoje ele é no meio de uma rua bem muvucada, cheia de lojas e restaurantes! É possível tirar uma foto dele, mas se quiser tirar uma foto com os militares (que eu acho que não são milicos de verdade, né?) precisa pagar.

IMG_1808

Em seguida, fomos caminhando até  a Topographie des Terrors, não muito distante. É um museu localizado na antiga sede da Gestapo. Existe uma parte que é aberta ao público, em que há vários painéis informativos sobre o período nazista. O museu mesmo é pago, mas nós optamos por não entrar. O que eu achei mais interessante são os painéis no muro do prédio do outro lado da rua, em que conta-se em quadrinhos a história de um rapaz que montou uma tirolesa do prédio passando para o outro lado do muro e conseguiu escapar para a Alemanha Ocidental.

IMG_1815

De lá fomos até o museu judaico, Judiches Museum, que eu queria muito ir, e sabia que não era tão caro (compramos os ingressos na hora e, salvo engano, custaram 10 euros cada). Eu tinha lido em alguns blogs que o museu era muito legal e em outros que não valia a pena. Pra mim uma coisa tem que ser muito ruim pra eu falar que não vale a pena, o que não foi o caso. Mas eu não diria pra você priorizar esse museu também. Eu achei interessante, mas em alguns momentos um pouco maçante. E prepare-se pra andar muito e descer e subir escadas.

Depois do museu fomos almoçar, já um pouco tarde, e escolhemos o Gustav & Gold, que fica quase 1km distante do museu. Apesar da fome, valeu a pena a caminhada até lá. Esse foi o restaurante que eu mais gostei em Berlim. Pedi um medalhão de filé de porco com lentilhas negras e claras e brotos de beterraba e estava delicioso demais! Meu marido pediu o schnitzel e também aprovou!!! O preço eu lembro que achei ok, nada muito caro, mas também não barato!

 

A próxima parada do dia foi a Gendarmenmarkt, uma praça bem grande, que fica no centro de Berlim, onde há duas catedrais iguais, uma Francesa e uma Alemã, além de, entre elas, a Konzerthaus, sede da Orquestra Sinfônica de Berlim. A Catedral Francesa funciona mesmo como uma igreja, mas a Catedral Alemã funciona como um museu, que conta a história atual da Alemanha e tem até uma réplica do Parlamento Alemão. Nós pagamos pra subir (não me lembro quanto), mas achei a visita interessante e rápida.

IMG_1829

Na praça Gendarmenmartk. Ao fundo a Konzerthaus e a Catedral Francesa.

Pessoalmente, a Gendarmenmarkt foi minha praça favorita de Berlim e ela me lembrou um pouco as praças de Roma, sempre cheias, com músicos tocando, pessoas pegando um solzinho.. eu adorei o clima lá!

IMG_1837

Dentro da Catedral Alemã. A cada lance de escadas, uma entrada para uma parte diferente do museu.

Quando fizer esse passeio, não se esqueça de passar, ao lado da praça, na Fassbender & Rausch – uma loja de chocolates bem grandinha, que possui réplicas dos monumentos da cidade em chocolate! É tudo muito lindo e, claro, muito cheiroso. Comprei um chocolatinho pra provar, mas eles custam bem carinho..

 

E, como última atração do dia, fomos dar um passeio pelas ruas de compras Tauentzienstrasse e Kurfürstendamm e, ver, no meio do caminho entre elas a igreja Kaiser-Wilhelm-Gedachtniskirche. Essa igreja foi construída no final do século 19 pelo Imperador Wilhelm II para homenagear o seu avô, o Imperador Wilhelm I, rei da antiga Prússia. Ela está totalmente em ruínas  por causa dos bombardeios sofridos durante a Segunda Guerra Mundial, sendo que apenas uma torre sobrou intacta. É bem interessante ver como a torre ainda permanece lá, quase em escombros – e ainda é bonita! Essa igreja funciona hoje como um memorial, mas quando fomos estava em reforma. E, como vocês podem ver pela foto abaixo, ao lado dessa igreja funciona a nova igreja! Sim, essa construção esquisitinha, em formato octogonal, que parece tudo, menos uma igreja! hehehe

IMG_1859

Bom, e para finalizar, nesse dia nós procuramos no TripAdvisor um restaurante que fosse bem típico para os moradores e não para os turistas! Fomos em um pub, cheio de locais bebendo cerveja e comendo petiscos e adoramos! Tudo bem simples, o local pequeno, porém a comida deliciosa! O nome do local é Stadtklause!

 

Bom, esse foi nosso roteiro em Berlim! Nos próximos posts, falarei mais sobre os outros lugares que visitei na Alemanha! Gute Fahrt!